A lógica das porções gigantes

Esse artigo analisa uma das táticas mais famosas para fazer os clientes comprarem mais. Tudo começou quando um empresário americano dono de uma rede de cinemas  na Chicago dos anos 1960 desenvolveu uma estratégia foi copiada por outros cinemas da época e posteriormente invadiu outros ramos de negócio: o desconto por tamanhos maiores.

Analisando as vendas de pipoca no seu cinema ele percebeu que dificilmente os clientes comprariam dois sacos de pipoca, não importava o desconto que ele oferecesse. A solução desenvolvida foi simples: ao invés de tentar vender 2 sacos de pipoca, ele criou tamanhos maiores de sacos e estabeleceu diferenças pequenas de preço entre os tamanhos pequeno, médio, grande e extragrande – que inclusive está presente até os dias de hoje.

Hoje em dia numa visita a uma lanchonete do Bob´s você percebe que o Milkshake de Ovomaltine de tamanho Pequeno sai por R$ 6, o tamanho médio custa R$ 7 e o tamanho Grande custa R$ 8. Qual a lógica desse preço? 

A lógica é a mesma do experimento americano: o consumidor enxerga vantagem porque ganha um desconto a mais se topar levar um tamanho maior, enquanto o vendedor fica satisfeito porque aumenta o ticket médio do seu estabelecimento.

Essa tática comercial se difundiu por todo o setor de alimentação, especialmente o segmento de fast food. Isso é fácil de entender porque é relativamente barato oferecer porções de tamanho gigante – lembre-se que em média somente 1/3 dos gastos do restaurante é representado por comida & bebida.

Atualmente esse modelo de porções de tamanhos enormes entrou em cheque com as preocupações sobre a saúde e o impacto dos alimentos na nossa qualidade de vida.

Ainda assim como tática comercial é fundamental conhecê-la e se for o caso utilizá-la.

Quer saber mais ? Aprenda Como Montar Restaurante

Dezembro com Desconto

dezembro

Para dar as Boas Vindas ao Final do Ano de 2014 neste mês de Dezembro criamos um desconto especial para nossos clientes. Nosso Campeão de Vendas eBook Como Montar Restaurante 3a Edição numa condição Super Especial …

Caiu Preço: de R$ 149,90 por Apenas R$ 49,90.

Tudo que você precisa saber sobre Como Montar seu Restaurante com muito Sucesso por um preço incrível.

Atenção: Promoção válida por tempo indeterminado!

Para Comprar Agora Clique No Botão Abaixo

Comprar eBook Como Montar Restaurante

5 dicas para inauguração do seu restaurante

A inauguração de um novo restaurante não é qualquer coisa, seja qual for a cidade do Brasil. Se você estiver numa metrópole onde a gastronomia é bem vasta, todos vão querer saber qual é o novo restaurante que está abrindo.

Se você estiver numa cidade de urbanização mais modesta, vai ser do mesmo jeito. Veja bem, restaurantes geram fidelidade, sim, é claro. Mas ninguém vai querer passar o resto da vida comendo no mesmo lugar, todas as vezes, sem exceção. As pessoas gostam de conhecer coisas novas.

E é por isso que você tem que aproveitar a inauguração do seu restaurante para chegar bem e angariar clientes mesmo antes de abrir. Acha que isso é impossível de acontecer? Vamos dar uma olhada nessas cinco dicas abaixo.

1. MONTE UMA BLITZ

Pode ser num shopping, pode ser em algum lugar público de grande circulação onde as pessoas possam parar para saber mais (como numa rua movimentada, por exemplo). É muito comum emissoras de rádio realizarem essas “blitz” como parte de ação de marketing de seus patrocinadores.

Qual é a ideia aqui? Fazer com que as pessoas parem no seu quiosque e se cadastrem antecipadamente, antes de haver a inauguração do seu restaurante, para garantir um lugar na inauguração (que tal uma lista de espera no dia da abertura do seu restaurante?).

Mas, isso não deve ser o único benefício. Você pode garantir algumas vantagens, como um prato especial de graça no dia da inauguração. Pode ser uma sobremesa, uma entrada ou qualquer outra coisa que você achar mais conveniente.

A ideia aqui é fazer um cadastro dos futuros clientes para se comunicar com eles através do e-mail, algo muito importante.

2. CRIAR RELACIONAMENTO PELO E-MAIL

Talvez você tenha pensado que o futuro cliente possa esquecer do dia da inauguração. Como fazer que ele se lembre, e melhor, fique apreensivo para o dia de abertura do restaurante? Mantendo contato pelo e-mail.

Mande e-mails periódicos para os seus futuros clientes cadastrados. Fale coisas úteis, conte mais da história do seu restaurante, o que te motivou a abrir um, quais serão os pratos do cardápio.

Esse processo funciona como um momento de sedução, onde você vai ter que conquistar o consumidor. Por isso, segmente a sua lista de pessoas cadastradas em grupos com interesses semelhantes (alimentação saudável, econômicos e fãs de carnes, por exemplo) para não parecer tudo padronizado para todos e ficar algo impessoal.

Para fazer isso, pegue as informações contidas no cadastro e pronto, você tem agora uma forma de conhecer melhor os seus possíveis frequentadores.

3. CONTRATE UMA ASSESSORIA DE IMPRENSA

Esse é um dos pontos mais importantes. Você precisa fazer um trabalho de assessoria de imprensa para fazer com que os principais jornais da cidade, as principais páginas do Facebook e os principais perfis no Twitter falem do seu restaurante. Se possível contrate uma empresa especializada.

Uma boa é convidar especialistas da área para a inauguração e fazer de tudo para que eles saiam com uma boa impressão. Porque existe uma coisa, leitor, o que sai na mídia convence boa parte da população.

Embora isso se choque com um bom boca a boca, por exemplo, que faz muitas pessoas visitarem um restaurante, a mídia consegue influenciar bem mais rápido e de forma mais abrangente.

Por isso, contrate uma assessoria e faça com que a sua inauguração seja difundida por todos os meios. E que essa reverberação seja analisada. A sua equipe precisa estar atenta a todas as notas que saírem após a inauguração.

Com isso você terá a reação das pessoas e da crítica especializada diante do seu serviço, o que é imprescindível para todos que estão abrindo um restaurante.

4. MOSTRE QUE SEU RESTAURANTE É DIFERENTE

Nessa inauguração existe algo que não pode faltar de jeito nenhum: um prato diferente. Você precisa ter uma carta na manga para usar nesse dia, algo que as pessoas olhem, degustem e pensem: isso aqui não se acha em qualquer lugar.

Se você trabalhar com pizza, invente um novo sabor. Se trabalhar com comida japonesa, inove na confecção do sushi, por exemplo. Geralmente, na gastronomia, são pequenos detalhes que fazem toda a diferença.

Fique atento para isso.

5. PRESENTEIE OS CLIENTES

Na hora da saída, não deixe de mimar quem prestigiou o início da nova fase da sua carreira. Além de agradecer, é claro, entregue um brinde, um presente, uma lembrança a cada um que veio ao seu restaurante.

A ideia é fazer com que eles se sintam mimados mesmo, afinal, todo mundo gosta de ser bem tratado, com atenção e preciosidade. Faça isso com os seus clientes e deixe claro que você os espera ali novamente.

E isso é importantíssimo, pois eles vão levar para casa algo que lembra o restaurante. E como sempre acontece no mundo da gastronomia, a primeira visita é a principal para deixar os consumidores “viciados” no seu serviço.

OBS.: só não vale dar de brinde ímã de geladeira com o número do delivery. O brinde tem que presentear o cliente, tem que ser algo que o cliente perceba que saiu ganhando e não apenas o restaurante.

;)

Aproveite e boa sorte!

3 dicas para cortar custos no seu restaurante

Está achando que a sua folha de pagamentos pode ser mais enxuta? Então este artigo é o certo para você. Às vezes no final do mês nós podemos nos surpreender com algumas despesas e ficamos a perguntar se há algum custo que pode ser cortado para que esse dinheiro seja investido em algo muito mais proveitoso do que numa conta aleatória mensal.

Então aqui vão 3 dicas para você que está precisando de um alívio nos gastos do seu restaurante. Dê uma conferida!

1. FICHA TÉCNICA ENXUTA = DESPESAS MENORES

Aqui já falamos sobre a importância e como desenvolver as fichas técnicas do seu restaurante. Mas, o que muitos podem não entender é que as receitas e os custos padronizados devem ser o reflexo de uma ficha técnica bem realizada.

E o que seria isso? Bem, podemos começar pelos fornecedores. Uma ficha técnica enxuta deve contar com os melhores fornecedores da categoria custo x benefício. Isso se você pretende levar em conta os preços do seu prato e os custos que você vai ter ao confeccioná-los.

Se o seu restaurante é de alto padrão, ainda vale a pena investir em um chef top de linha e em fornecedores que tenham produtos de qualidade com um preço em conta.

Outro ponto importantíssimo que está contido na ficha técnica é a conduta dos profissionais. Nas fichas operacionais, todas as ações dos funcionários devem ser moldadas de uma forma a apresentar resultados eficientes.

Tudo deve ser feito com o mínimo de energia possível. Entenda bem, a palavra “possível” foi usada. Isso não significa que você vai virar o chefe pão duro, mas sim evitar desperdícios e fazer o necessário para o prato ficar com uma ótima qualidade sem exigir tanto do restaurante no final do mês.

2. A LÓGICA DE QUE MAIS LUCROS SIGNIFICAM DESPESAS MENOS SIGNIFICATIVAS

Já pensou se você, agora, pudesse aumentar os seus lucros ao invés de cortar custos? Você aceitaria essa proposta? Se sim, pense na quantidade de ações que poderiam ser tomadas e aumentar os seus lucros, fazendo com que as suas despesas não parecessem tão significativas assim como parecem hoje.

O primeiro princípio para isso é aproveitar o que está sobrando no seu inventário. Por exemplo, aquela bebida que você comprou numa quantidade baseada nos meses anteriores simplesmente parou de vender? É a hora de usar a criatividade.

Aliás, quem trabalha no ramo da gastronomia deve estar acostumado a abusar da criatividade para angariar novos clientes e se livrar de situações incômodas, como essa.

A solução para isso é criar um novo drinque e oferecê-lo por um preço menor. As pessoas com certeza ficarão intrigadas com essa nova opção no cardápio de bebidas, uma mistura diferente e mais barata. “Será que vale a pena experimentar?”. Pronto, a partir disso você pode criar mais uma fonte de lucro.

O mesmo princípio pode ser utilizado nos ingredientes que sobrarem na dispensa, criando a possibilidade de inovações no cardápio de entradas ou sobremesas, por exemplo. Até mesmo acompanhamentos, como saladas, podem ser criados com base naquilo que está sobrando no seu inventário.

Outro ponto importantíssimo é parar de oferecer água assim que os clientes chegam. Ao invés disso, o garçom deve perguntar o que eles devem beber. Isso aumenta bastante o consumo de outras bebidas mais caras que podem gerar mais lucro do que um simples copo de água.

3. A TECNOLOGIA PODE TE AJUDAR A CORTAR CUSTOS

Sim, hoje em dia sem a tecnologia você vai correr atrás dos seus concorrentes. E essa ajuda da tecnologia passa desde softwares que controlam o seu inventário a aqueles que mostram as tendências de consumo dos clientes.

Neste caso, esse monitoramento pode te ajudar a lidar com o terror das despesas dos restaurantes: o desperdício. Com base na rotina alimentar dos seus clientes em todas as vezes que eles vão ao seu restaurante, você pode estabelecer a quantidade de comida a ser produzida em cada dia.

Também fique atento a feriados e datas comemorativas, como o dia dos pais, dia das mães e dia dos namorados, onde a maioria das pessoas prefere comer em restaurantes por ser mais cômodo.

Isso tudo pode te ajudar a cortar custos e aumentar os seus lucros no final do mês. Que é o que todo proprietário quer, não é mesmo?

Tendência: Insetos podem ser a próxima onda gastronômica

Empreendedores apostam que os insetos ricos em proteína, e em especial os grilos, vão desencadear uma nova mania entre os alimentos

 Arnold Van Huis/AP

Em outubro de 2012, Megan Miller saiu de uma loja para animais de estimação em San Francisco carregado uma sacola cheia de bichos-da-farinha que se retorciam na terra. Ao chegar em seu apartamento, levou-os direto para a cozinha.

Como os bichos-da-farinha pegam o gosto daquilo que tiverem comido, incluindo terra, Megan os tirou da sacola e colocou numa tigela com aveia e maçã, deixando que eles mastigassem por dias.

Então, seguindo instruções encontradas na internet, ela os escaldou em água fervente, assou e depois jogou no processador de alimentos com ameixas secas, canela, óleo de coco e banana. Formou barras com a mistura e pôs para esfriar na geladeira. Logo ela começou a experimentar também com grilos vivos.

Continue lendo

Truques para fazer seus clientes gastarem mais

Menus são pensados para total lucro dos restaurantes (Foto: Divulgação)

Sair para jantar é uma das coisas mais comuns – e legais – do nosso cotidiano. Mas, com a mesma frequência que vamos ao nosso restaurante preferido, somos vítimas de truques e peripécias dos donos de restaurantes, que contratam consultores para o desenvolvimento de cardápios mais atraentes e que nos fazem gastar mais.  Lógico, isso não quer dizer que o quilo nosso de todo os dias contrate especialistas – mas algumas dessas práticas, usadas por grandes restaurantes, acabaram se popularizando e se tornando comuns até nos estabelecimentos mais simples.

Veja abaixo o a nossa lista e fique por dentro destes jogos psicológicos

1 – Eles não usam símbolos monetários

De acordo com o estudo realizado pela Cornell University School of Hotel Administration, menus com símbolos relacionados ao dólar vendem menos do que cardápios sem “$” ou algo do tipo. Para a pesquisa, assim que o consumidor nota o símbolo, a lembrança remete ao fato de gastar dinheiro e isso faz com que ele aja com mais cuidado. Então colocar valores só com os algarismos e sem o R$ no cardápio é uma forma de diminuir a cautela com que interpretamos o preço do prato.

2 – Números quebrados são importantes

Os designers de menus afirmam que valores terminados em 9, como 9,99, tendem a signifcar valor e não qualidade. E, segundo algumas pesquisas, valores quebrados podem ser considerados “amigáveis – mas disso você já sabe desde a moda das lojas de R$1,99.

3 – Descrever a comida aumenta o número de vendas

Um meno descritivo sempre anima o consumidor, afirma pesquisa da Cornell University. Especificamente, menus com pratos explicados de maneira até levemente romântica (sabor frutado, textura delicada e suave, etc. etc.) vendem 27% a mais do que menus comuns, diz o resultado do estudo daUniversidade de Illinois.

Para o engenheiro de menus Greg Rapp , esse tipo de cardápio “traz o máximo da sensação ao consumidor, aumentando as chances do cliente se sentir satisfeito após a refeição”. Outro fator que também pesa para a formulação dos menus é o uso de grandes marcas dentro dessa descrição (sobremesa feita com sorvete X, por exemplo).

4 – Eles ligam comida à família

Consumidores gostam quando nomes os nomes dos estabelecimentos têm ligações familiares. Com esse tipo de conexão com o cliente, a meta dos restaurantes é apelar para a nostalgia. Então desconfie quando você encontrar a “Macarronada da Mama” ou o “Filé do Tio”.

5 – Restaurantes usam termos étnicos para parecerem mais autênticos

De acordo com o experimento realizado pelaOxford, um termo étnico ou geográfico pode atrair a atenção do consumidor para  o tipo de comida daquele local, evocando sabores e texturas.

6 – Itens extremamente caros chamam a atenção para os mais baratos

De acordo com Greg Rapp, restaurantes usam artigos muito caros para destacar os baratos. A ideia é fazer com que você não compre o caro, mas crie razões para levar o “baratinho”, que nem sempre é tão barato quanto parece ao lado de um valor mais elevado.  De acordo com um artigo da New York Magazine, a única função de um prato com valor de três dígitos no cardápio é dar a impressão de que todo o resto é uma grande barganha – mesmo que não seja.

7 – Restaurantes oferecem dois tamanhos de porções para um mesmo produto

Essa é uma estratégia chamada bracketing, em que o consumidor não possui ideia do tamanho da porção menor, mas assume que o valor vale a pena. Porém, a intenção do restaurante é a de que o cliente realmente compre a menor, para isso inflacionam a porção maior.

8 – Eles analisam os nossos padrões de leitura

Os restaurantes analisam padrões chamadosscanpaths - pontos onde as pessoas fixam os olhos para a leitura.

De acordo com um estudo coreano, um terço das pessoas está suscetível a pedir o que lhe chamou a atenção de primeira. Por isso, restaurantes colocam os itens mais caros no canto superior esquerdo, já que é o caminho natural tomado pela nossa vista.

Essa estratégia também se dá em relação aos valores dos pratos. Colocando um primeiro item com maior valor, todos os outros poderão parecer ótimos preços, como explicamos no item 7.

9 – Eles criam um clima para gastar

De acordo com um estudo da Universidade de Leicester, tocar música clássica em um restaurante pode encorajar o cliente a gastar mais. No entanto, música pop faz com que pessoas gastem 10% a menos.

De Revista Galileu

17 coisas que todo empreendedor deve saber antes de começar

Uma das melhores listas dos últimos tempos.
Aprenda com quem já fez o que você pretende fazer.

de EXAME.com

Jovem estudando

Conselhos. Os empreendedores que estão começando um negócio são bombardeados de dicas e sugestões, mas nem sempre levam a sério. EXAME.com consultou 17 empresários para descobrir o que eles gostariam de saber antes de tirar uma ideia do papel. As ideias compartilhadas ajudam quem está começando a empreender a refletir.

Enxergue o todo

Uma das maiores dificuldades de Adriana Lima, criadora da Sabiar, foi dedicar muito tempo a colocar a empresa no ar e só depois descobrir quanta coisa ainda precisava ser feita para o negócio funcionar mesmo. “Teria sido ótimo se eu tivesse desenhado o passo-a-passo de como executar o meu negócio. Como eu me dediquei muito a colocar o site no ar, foi uma surpresa descobrir que até ali eu não tinha feito nem 10% do trabalho que viria pela frente”, conta.

Continue lendo